Posts filed under ‘Futebol de Praia’

Campeonatos em 1967

Em 1967, reeleito por unanimidade o Presidente Antonio Troisi Filho, substituto do Major Torres Homem,  que havia  modernizado a sede da FCEP, com Wilson Lopes de Souza como Diretor de Árbitros. Pelo comentários da época no jornal “O Liége”, acusava que o processo legislativo da FCEP, com seus arcaicos princípios, não apresentava solução quanto aos regulamentos, provocando a demissão coletiva do TJD.Levou-se em consideração um protesto do Lagoa, acusando um dos jurados de ser responsável pelo atraso do reprentante do Bangu no julgamento, pois quando chegou, o seu recurso (jogo de aspirantes) já fora decidido contra.  Com isso a sessão ficou tumultuada, pois beneficiava o Areia, que com o resultado se classificava, provocando a dcisão de todo o TJD.

Com isso, O campeonato de 1967, como cita “O Liége”, então “foi para o brejo”, pois houve recurso para o CND (Conselho Nacional de Desportos) que julgava os recursos superiores, que  decidiu anular o campeonato. Então a FCEP, resolveu realizar um Torneio extra-oficial com os clubes interessados, na formula eliminatória, em grupos, pois vários clubes dele não participaram. O campeã foi o Maravilha. Com não tenho dados precisos, sei pouco sobre a disputa e sobre o outro finalista.

O III Campeonato  Brasileiro de Seleções

Marcado para ser realizado em Niterói, a LAFA (entidade que dirigia o Estado do Rio da época) desistiu, sendo substituida pela FCEP som a liderança de Eurico Lyra Filho, que montou arquibancada no Lido e teve até cobrança de ingressos. Teve outra vez apenas 3 participantes: Esato do Rio, Guanabara e pela primeira vez São Paulo.

Eis os jogos :  Guanabara 2×1 Estado do Rio, com gols Marcos Serra e Cicarino (GB) e Parodi (ER). Arbitro: Zanoni Araújo e renda de NCr$ 98,00.

Sao Paulo 1×0 Estado do Rio, gol de Lio. Árbitro: Aloísio Bastos. renda NCr$ 88,00.

Guanabara 1×0 São Paulo, gol de Gugu (1o tempo). Árbitro : Geraldo Pestana (SP). Renda: 258,00

São Paulo 2×1 Estado do Rio, gols de Parodi (ER), Lio e Gigi (SP). Árbitro: Orlando Lobo (Xuxu). Renda nã divulgada.

Não houve Guanabara x Estado do Rio, pois estes descontentes com a arbitragem do jogo anterior desisitiram. Na última rodada a Guanabara e São Paulo, fixeram jogo equlibrado 1x 1 (0x1 no  tempo inicial) gols de Gigi (SP)e Armando (GB). Árbitro: Geraldo Pestana (SP) e renda na divulgada.

As equipes : Guanabara – tricampeã – Jerson e Paulo Roberto); Rubinho (Canolongo), Pelicano, Cicarino e Armando; Jonas e Carlinhos (Geraldo e Gordo); Gugu, Marquinho, Tuca e Czibor (Marcos Serra). Fizeram parte: Aldo, Iran,Paulinho, Roberto e Colinos. Comissão Técnica: Leoni Nascimento, Marechal e Francalacci.

São Paulo: Bezerra: Nívio, Paulinho, Sergião e Wilson; Norberto (Nenê) e João Carlos (Zé Vitor);  Jorge (Clóvis),Lio, Gigi, Serginho e Zéquinha (Pará).

Estado do Rio : Peré; Paulo Roberto, Oswaldo, Pedrinho e Renato; Vinhaid e Váltinho; Miltom, Parodi, Toninho (Paulo) e Lacerda. Brivaldo, Vanderlino, Paulinho e Macaíba.

Artilheiros:  Lio e Gigi (SP) e Parodi (ER) 2 gols. Menos vasado Jerson (GB), melhor jogador: Bezerra (SP) Revelação: Armando (GB).

Seleção: Bezerra (SP); Nívio (SP), Canolongo (GB), Sergião (SP) e Armando (GB); Jonas (GB) e Valtinho (ER); Gugu (GB), Lio (SP), Czibor (GB) e Lacerda (ER).

Amistosos interestaduais: Lá Vai Bola 3×1 Berimbáu (RS), Guaíba 0x0 Berimbáu, Botafogo 1×0 Berimbáu. Em Porto Alegre; Botafogo 7×2 Cidreira e Berimbáu oxo Botafogo.

Anúncios

fevereiro 27, 2011 at 12:51 pm Deixe um comentário

Campeonato de Praia de 1966

Após a conquista do bicampeonato brasileiro, realizado no Rio Grande do Sul, houve reunião da FCEP, provocada pelo Trosi (Areia) com apoio de vários clubes novos, como Bangu, Olímpico, PUC, Liege e outros que estavam na divisão de Acesso. Esses clubes votaram por uma nova composição para o Campeonato, com 29 clubes participando da Fase Classificatória, divididos em cinco series, A, B, C, D com seis clubes e E com cinco, para apurar os três de cada grupo para formar os quinze que da nova Divisão  Princi-pal.

Essa fase inicial, disputada em turno e returno, apresentou os seguintes resultados:

Grupo A – 1- Copaleme,15 pontos; 2- PUC, 12; 3- Radar, 11 pelo melhor saldo. Não classificaram: Maravilha,11; Nacional, 10 e Olímpico um ponto.

Grupo B – 1- Praiano, 17; 2- Dínamo 14, 3- Porangaba, 13. Não classificaram: Atlanta, 10; Bangu, 5 e Corinthians, zéro ponto.

Grupo C – 1- Botafogo, 19; 2 – Lagoa,15; 3- Juventus, 12. Não classificaram: Torino, 6; Pracinha, 4 e Racing, 4 pontos.

Grupo D – 1 – Tatuís, 18; 2- Guaíba, 15; 3- Leblon, 10. Não classificaram: Alvorada e Cruzeiro, 6 e Liége 4  pontos;

Grupo E – 1- Areia, 11; 2- Colúmbia, 10; 3- Real Constant, 10. Não classificaram: Lá Vai Bola, 8 e Paulistano um ponto.

Na Fase  Final, decidindo o título da Divisão Principal, o Botafogo sagrou-se campeão, com forte time que iniciou mal, mas no returno obteve dez vitorias seguidas para ganhar com 41 pontos o título do Copaleme que foi o segundo colocado com 40. Seguiram: Radar, 35; Praiano, 32; Lagoa, 31; Porangaba, 29; Guaíba, 27; Tatuís, 26; Juventus, 25; Real Constant a Areia, 23; Colúmbia, 19; Dínamo,17, Leblon, 15 e PUC, 13 pontos.

O Botafogo, que havia no final do turno perdido para a PUC por 2×4, reagiu vencendo seus principais rivais: Copaleme 5×0 e 0x0, Radar,1×0 e 2×0; Praiano, 0x2 e 1×0; Lagoa, 2×1 e 1×0; Tatuís, 5×1 e 0x1; Guaíba, 0x0 e 2×1, Porangaba, 1×1 e 3×1; Juventus, 3×3 e 1×0; Real Constant, 1×0 e 1×1; Areia, 0x0 e 4×0, Dínamo, 0x2 e 6×1, Colúmbia, 1×1 e 4×0; Leblon, 5×0 e 3×0 e PUC, 2×4 e 4×0.

No Campeonato o clube alvinegro, disputou 38 jogos, 27 vitórias, 7 empates e 4 derrotas, marcou 82 gols contra 29, saldo 53. no Turno final foram 28 partidas, 18 vitórias, 6 empates e 4 derrotas. 58×20 gols, saldo 38.

O Botafogo foi campeão com a seguinte equipe: Paulo Roberto (Pitomba); Jorge, mauro, Armando (Sandro) e Bené; Carlinhos e Henrique (Cataí); Carlos Alberto (Marconi), Marquinhos, Nélson (Horácio) e Pepa. Técnico : Leoni Nascimento.

O artilheiro foi Pepa (Botafogo) 21 gols, seguido de Maurício (Copaleme) 18, Fred (Guaíba) 15. Goleiro menos vasado Amleto (Radar). Melhores árbitros : Lídio Araújo, Orlando lobo e Aloísio Bastos.

Botafogo  foi campeão de aspirantes dirigido pelo saudoso Nenem Prancha, seguido do Praiano.  Baixaram para a Divisão de Acesso o Lebon, e PUC, subndo Lá Vai Bola e Liége.

times cariocas foram a Santos, com os seguintes resultados: Botafogo 0x0 Seleção, Copaleme 3×2 Náutico e Radar 0x0 Náutico.

fevereiro 18, 2011 at 9:38 pm Deixe um comentário

II Campeonato Brasileiro de Futebol de Praia

Foi disputado nas praias do Rio Grande do Sul, no início de 1966, com a partici pação da Guanabara (campeã de 1995), Estado do Rio e Rio Grande do Sul, pois  Santa Catarina, inscrita, desistiu em cima da hora. Assim a competição, como no ano anterior foi disputada em dois turnos.

A Seleção carioca um mês antes fez a convocação de 30 jogadores, para compor os 22 jogadores que viajaram. O Presidente da FCEP, Antonio Torres Homem, conseguiu o patrocínio da Grapette para custear a viagem. Além dos atletas e do Presidente, foram Dr. Alcebíades (médico) e a Comissão Técnica, com Leoni Nascimento, Marechal e Francalacci.

Ao chegar em Porto Alegre, fomos ao churrasco oferecido pela Grapette que nos atrasou e tivemos de dormir no alojamento do Clube União, na beira do Rio. Porém face ao ataque dos mosquitos, fomos dormir no ancoradouro do clube, onde havia menos mosquitos. No dia seguinte viajamos para Tramandai, onde fomos alojados na ótima Pousada da Brigada Militar, onde fizemos nossas fartas  refeições e tive de proibir os regalos de chocolates e sorvetes que ofereciam após as refeições. Fizemos dois treinos para conhecer o terreno dos jogos de areia dura. Todos os árbitros foram gaúchos.

O campeonato foi disputado em seis dias,  eis os jogos disputados nas praias, todos disputados ao meio dia com excelente público:

1- Em Capão da Canoa – Guanabara 2×1 Rio Grande do Sul, gols de Horácio e Galvani contra (GB) e Molina (RS). Árbitro: Oswaldo Quartiere.

2- em Tramandaí – Guanabara 4×2 Estado do Rio, gols de Horácio (2), Tuca e Ivan (GB) e Rubinho (contra) e Lacerda (RJ). Árbitro: Emilio Kersten.

3- em Tramandaí – Rio Grande do Sul 1×0 Estado do Rio, gol de Bumbel. Silvio Baldino foi o árbitro.

4- em Tramandaí – Guanabara 2×0 Estado do Rio, gols de Horácio e Gugu. Árbitro: Abilio Machado.

5- em Cidreira – Guanabara 3×1 Rio Grande do Sul, gols de Horácio, Tuca e Geraldo (GB) e Adroaldo (RS). Árbitro: Paulo Fonseca que foi bem, mas deu oito minutos a mais.

6- em Tramandaí – Estado do Rio 3×2 Rio Grande do Sul, gols de Lacerda, Samuel e Parodi (ER) e Pedrinho (contra) e Molina (RS). Árbitro: Quartiere.

Os prêmios foram entregues no excelente churrasco oferecido pelo General Justino Alves Bastos, comandante da 3a Região Militar. no dia seguinte, o retorno para o Rio, sempre de onibus fretado. O Artilheiro foi Horácio (GB), com 5 gols. O goleiro menos vasado: Paulo Roberto (GB), Gugu (GB) foi o melhor jogador e seu irmão Jonas, a revelação. A Seleção do Torneio foi a seguinte: Peré (ER); Potoca, Tonico (GB), Carrard (RS) e Grilo (RS); Jonas (GB) e Valtinho (ER); Gugu (GB), Horácio (GB), Tuca (GB) e Canhoto (RS).

Equipe da Guanabara: Paulo Roberto (Guaíba), Potoca (LVB), Cicarino (Din.), Tonico (LVB) (Cataí. Guaíba) e  Rubinho (LVB); Jonas (Lagoa) e Geraldo (Real Constant) (Carlinhos, Lagoa); Gugu (Lagoa), Horácio (Guaíba), Tuca (Tatuís) e Lula (Lagoa) Ivan LVB).  Foram reservas: Paulo (Porangaba), Avelino (Areia), Rueta (Dinamo), P.Wrigt (Guaíba), Canário (Lagoa), Marquinhos, Marconi (Botafogo) e Jorge (LVB). 4 vitorias, 11 gols x 4.

Rio Grande do Sul, vice pelo saldo de gols – Gilberto; Mauro, Galvani, Carrard e Grilo; Renato (Dutra) e Joaquim; Vitor Rosa (Tonico), Bumbel, Molina ou Adroaldo  e Canhoto. Ainda: Stol, Ênio Marrapodi, Pato, Luis Carlos e Bereba.  1 vitoria, 5 gols x 8.

Estado do Rio – Peré; Paulinho, Pedrinho, Murilo e Badger; Sérgio e Valtinho; Parodi, Samuel (Rateko), Nilton e lacerda. Ainda Ivanor e Mário. 1 vitoria, 5 gols x 9.

julho 16, 2010 at 3:20 am Deixe um comentário

Futebol de praia

Peço desculpas pela demora em dar seqüencia ao histórico do futebol de praia. Quanto ao Campeonato Carioca de 1965, o Copaleme foi o campeão com 40 pontos; Lá Vai Bola vice com 35 e Lagoa e Botafogo, com 34.  Seguidos por: Guaí ba, 30; Dínamo,25; Real Constant,23; Maravilha, 22; Radar e Porangaba,19; Fla mengo, 18; sendo  Pracinha, 8 e Cruzeiro, 5, rebaixados. Ascenderam da 2a divi são o Praiano (invicto) e Tatuís. Entre os aspirantes, Lagoa o campeão, seguido de Guaíba e Pracinha No juvenil Radar o  campeão.

O time campeão, Copaleme formou com : Jerson (com J); Jomar, Canolongo, Pelicano e Zé Maria; Tubarão e Osório; Ivan,Vitor, Maurício (Pedro Antonio) e Diniz (Zeinho) Dirigiu a equipe o “Conde” Bragança. A campanha da equipe teve 24 jogos,17 vitorias, 5 empates e apenas duas derrotas (Botafogo 2×3 e Real Constant 0x2) Em casa, venceu 11 jogos e empatou 1 como Dínamo, mas ganhou o ponto. contra os principais adversários: venceu Botafogo (3×2), Lá Vai Bola (1×0 e 1×0), Lagoa (0x0 e 2×1) e Guaíba (1×1 e 2×0). Marcou 40 gols e sofreu 21, saldo de 19.

Os artlheiros foram: Lula (Lagoa),16; Marquinhos (Botafogo), 15 e Horácio (Guaíba) 14. o melhor goleiro Jerson e menos vasado Capelli (Lagoa, 0,61). Árbitros detacados; Darce Silva, Reinaldo Serra e Osmar Monteiro. Em Niterói o Radar foi o campeão e no Rio Grande do Sul o Rainha do Mar.

julho 15, 2010 at 12:04 am Deixe um comentário

Os campeonatos brasileiros

Os Campeonatos Brasileiros

No final do ano de 1964, eu e Theodoro Sodré Filho, o Téo do Lagoa, solicitamos ao Presidente da FCEP Luís Desiderati a permissão para realizar no início do ano seguinte, o I Campeonato Brasileiro de Futebol de Praia, embora incrédulo ele concordou, afirmando que não dispunha de verba para tanto. Então eu e Théo, saímos em campo para buscar apoio, tivemos reunião com  o Presidente do CND (Conselho Nacional de Desportos) que se prontificou a oferecer medalhas para os atletas e comemorativas da competição para todos os participantes e alojamento na EEFEx para os participantes que viriam do Rio Grande do Sul (com o apoio do Correio do Povo, que promovia o campeonato das praias gaúchas e de São Paulo (que acabou por não vir) sendo que do vizinho Estado do Rio, não seria necessário alojamento.

 Aos poucos fomos conseguindo apoio, menos da FCEP, treinamos nas praias do Leblon, Urca e Copacabana, onde seriam realizadas as partidas, aos sábados e físico no meio da semana na sede do Botafogo, no Mourisco. Esse treinamento durou dois meses e foi comandado pela Comissão Técnica formada por Leoni Nascimento, do Guaíba, (técnico e chefe da Comissão), Marechal do Lá Vai Bola e Paulistinha (Real Constant), desculpe por não lembrar seus nomes, quem lembrar mande seus nomes, que publicarei. Como Preparador Físico o Professor Francalacci, que depois ficou conhecido por seu trabalho com o Zico no Flamengo, o massagista “Diabo” que não recordo o nome e Zezinho, roupeiro do Botafogo.

Com a ausência de São Paulo e Espírito Santo, também convidado, os dirigentes da FCEP (Federação Carioca de Esportes de Praia), LAFA (Liga Amadora de Futebol de Areia, de Niterói) e recém fundada pelo jornalista Jair Cunha Filho a FGFP (Federação Gaúcha de Futebol de Praia) se reuniram para tomar conhecimento da tabela e do Regulamento, aprovado por todos. Como a LAFA não indicou árbitros e a FGFP, trouxe Hiran Garibaldi, o quadro foi completado por Reinaldo Serra, Sílvio Cabetti, Rubens Carvalho, Zanoni Araújo  e o jovem Arnaldo César Coelho que anos mais tarde se tornaria famoso, apitando uma final de Copa do Mundo.

A abertura do I Campeonato Brasileiro de Futebol de Praia foi no sábado no campo do Colúmbia no final do Leblon, com desfile e diante de público de mais duas mil pessoas, pois havia e ainda há, uma arquibancada natural para acesso. Hoje não tem largura suficiente para se jogar naquela praia. Guanabara e Estado do Rio se enfrentaram, com vitória dos locais (time A), por 2 a 0, gols de Tuca e César) no dia seguinte, no mesmo local a Guanabara com equipe diferente venceu o time gaúcho por 4 a 0, gols de Ivan (2), Santoro e Jorginho (todos do Lá Vai Bola).

Os jogos do meio de semana, por ser o único com iluminação (da extinta TV Tupi), aconteceram na Urca. Na terça-feira, o Estado do Rio, venceu o Rio Grande do Sul, por 1 a 0, gol de Walter.

No jogo de quinta-feira, o técnico dos gaúchos Chicão, que estavam hospedados na Urca (EEFEx)

Ele solicitou a algumas pessoas de molhar bem o campo, para que a areia endurecesse e ficasse como as das praias sulinas. Todavia o efeito foi contrário, pois o campo ficou mais fofo ainda, do que se aproveitou a Guanabara, jogando com o time A , para aplicar a maior goleada do Campeonato 8 a 0!, gols de Tuca (4), César (2), Gugu e Lula.

No sábado seguinte, no Leme (Copaleme), o Estado do Rio, credenciou-se como finalista ao bater o time gaúcho por 4 a 1. gols Parodi (2) Toninho e Milton, para os gaúchos marcou Bodinho. No dia seguinte, no mesmo local, se enfrentaram Guanabara (jogando pelo empate) e Estado do Rio, perante grande público. Após jogo difícil, os donos da casa venceram por 2 a 1, gols de Diniz e Gugu, contra um de Parodi (pênalti). Após a final houve nova reunião, na qual foi aceita a indicação do Rio Grande do Sul para sediar no próximo ano o II Campeonato Brasileiro.

Foram seis jogos, cada árbitro apitou uma partida, lembro apenas que Sílvio Cabeti apitou o jogo inaugural e que Hiran Garibaldi trabalhou na final.  

O artilheiro foi o atacante Tuca, da Guanabara) com 5 gols, seguido de César e Parodi (3)o goleiro menos vazado foi Jerson (Guanabara).

As equipes jogaram com:

Guanabara – goleiros: Jerson (Copaleme) e Lelé (Dínamo); Potoca ( Lá Vai Bola), Canela (Radar), Kolinos (Lagoa), Mauro (Guaíba), Tonico (Lá Vai Bola), Cicarino (Dínamo), Rubinho (L.V.Bola) e

Rueda (Dínamo); Avelino (Dínamo), Santoro (L.V.Bola), Geraldo (Real Constant)e Carlinhos (Lagoa); Gugu (Lagoa), Canário (Real Constant), Tuca (Real Constant), Jorginho (L.V.Bola), Lula (Lagoa), Ivan (L.V.Bola), César (L.V.Bola) e Diniz (Copaleme)

Estado do Rio – Macaíba; Oswaldo, Vanderlino, Pedrinho (Badger)  e Beto; Sérgio (Pardal) e Walter; Parodi, Milton (Toninho), Palito (Hélio e Cantagalo) e Lacerda.

Rio Grande do Sul – Marrapodi; Daltro (Zequinha), Carrad, Orlando (Bereba) e Mauro; Pato e Caturra; Tonico, Bodinho, Bumbel e Boca (Cabinho). J.Pedro, Ponso, Divino e Carlos, não jogaram. Chicão Correia Lima  o treinador e Ângelo Vecchio o dirigente.

janeiro 6, 2010 at 12:07 am 3 comentários

futebol de praia 2

 Amigos

 começo este novo tópico esclarecendo detalhes do anterior, a Liga da Urca, na sua fundação (1956) foi após um breve torneio entre times locais forma- dos na hora. os campeonatos foram disputados de 1957 a 59, com o Guaíba sendo tricampeão.

Fundação da Federação Carioca de Esportes de Praia.

No início de 1960, com o êxito do Torneio Inter-praias, os presidentes das Ligas de Copacabana (representado por Eurico Lyra Filho), Urca ( Leoni Nascimento) e Leblon ( Theodoro Sodré Filho, vice-presidente) fizeram várias reuniões na casa de José Antonio Flores da Cunha Neto, para fundar a Federação Carioca de Esportes de Praia. não me recordo da data exata, mas creio que foi em junho, pois em 18.06 foi a última rodada da Taça Urca, que encerrou as atividades da Liga do bairro. Foi eleito Presidente Eurico Lyra Filho, para o mandato de dois anos.

Com a filiação e inscrição de 29 clubes, a FCEP realizou o 1o Campeonato, em três fases, na primeira chamada de Eliminatória, os clubes foram dividi-dos em quatro grupos de 7 e 8 equipes para classificar os quatro primeiros de cada para a Fase Semi-Final. Nesta fase, mais quatro grupos com quatro clubes, classificando os dois melhores para o Turno Final, com oito clubes.

Foi um campeonato estafante, pois em cada segmento a disputa, iniciada em 20 de agosto, foi pelo sistema de turno e returno. terminando quase dez me-ses depois no dia 11 de maio de 1961. Os finalistas disputaram mais de 30 jogos.

Na Fase Classificatória, sem grandes surprêsas, os classificados foram:   Grupo A – Lagoa, Dínamo, Ouro Preto e Ipanema/ eliminados, Yankee, Lido e Jatan; Grupo B – Radar, Pracinha, Cruzeiro e Colúmbia (Copacabana)/eli – minados, Nacional, Gatos, Paredão e Samburá; Grupo C – Grêmio, Tatuís, Lá Vai Bola e Maravilha/eliminados, Alvorada, Belford Roxo e Copa Júnior e no  Grupo D – Copaleme, Juventus, Arsenal e Guaíba/ eliminados, Leblon, Copa-cabana e Lage.

As colocações dos grupos na Fase Semifinal, foram estas: Grupo A – Pracinha 8 pontos e Guaíba, 7, sairam: Lá Vai Bola, 5 e Dínamo, 4; Grupo B – Lagoa, 9  e Arsenal 8, sairam: Grêmio (a grande surpresa) 7 e Colúmbia 2: Grupo C – Radar, 9 e Ouo Prêto 8, sairam: Maravilha 7 e  Copacabana 1: Grupo D – Ta-tuís e Juventus, saíram: cruzeiro e Ipanema (não tenho os pontos)

No Torneio Final, entre os oito finalistas, o Ouro Preto, vencedor de muitos campeonatos de Copacabana, após sofrer três goleadas desitiu o turno e lo-go depois a federação. Por ironia os três colocados, Guaíba, Lagoa e Praci- nha se enfrentaram nas rodadas iniciais. O Guaíba, que se classificou com dificuldades nas etapas iniciais, foi o campeão invicto com 26 pontos, 12 vitórias e dois empates, quatro a mais que o Lagoa e oito a mais que o  Pra-cinha, terceiro colocado. 4o Tatuis, 5o Juventus, 6o Radar e 7o Arsenal.

 No  jogo decisivo, na segunda rodada do returno, entre Guaíba e Lagoa, na Urca, o time da casa perdia até os 24 minutos do 2o tempo, mas reagiu e marcou três gols em 11 minutos. Esse jogo faz parte da história do clube. O Guaíba marcou 62 gols ao longo dos 32 jogos, sofrendo 30. O time campeão, dirigido por mim, em fase de transição durante as fases, jogou com Jorge de Castro; Ronald, Oscar Parede Mauro Laviola e Lima (P.Wright); Rony e Tovar ;Álvaro, Horá-cio, Raul Celso (Vicente) e Canarinho. Jorge foi o goleiro menos vasado e Paulo (Lagoa) foi o artilheiro com 24 gols, seguido de Horácio com 23.

Foi disputado um torneio entre os clubes desclassificados, para apurar os que comporiam os treze da 1a Divisão para o ano seguinte, classificaram: Lá Vai Bola, Copaleme, Maravilha, Cruzeiro, Grêmio e Dínamo.

No próximo capitulo, comentaremos oscampeonatos de 1961 a 1963.

julho 3, 2009 at 1:59 am 1 comentário

O futebol de praia de onze

  Amigos, hoje vou contar o que sei do futebol de praia de onze.

Quando  Copacabana começou sua expansão demográfica, já havia “peladas” de futebol na praia no Posto Seis, tanto que em 1931, foi fundado o  Lá Vai Bola, agremiação pioneira da modalidade, extindo na década de 70. Sei que houve um torneio noturno na praia em 1938, pois tive acesso a uma foto do time da Urca, que participou, pertencente  ao Pirica, ponta di time que jogavam os irmãos Tovar. Também recordo que ao volta ao Rio, em 1944, o time da Urca jogando em seu campo (menor) era quase imbatível e eu e os demais meninos disputavam quem seria o “gandula”.

Pois bem, nessa epoca o grande rival do Urca P.C., que tinha Paulo Tovar, idolo do Botafogo, seu irmão Rodrigo, Rubinho, depois campeão pelo Botafogo em 1948, Jaime, pai do Jaime, campeão pelo Flamengo em 65, o Pirica, que era do voleibol do Fluminense e outros bons jogadores. Esse rival era o time do 103 Praia Clube, cujo uniforme era verde, com calções surreais, branco com peixes em verde. Seu capitão e dono era o Carlinhos Niemeyer, irmão do grande arquiteto e depois cineasta com o Canal 100 que passava esportes nos cinemas. No seu time, além dele, tinha o Heleno de Freitas, atacante do Botafogo e seleção nacional, que na praia jogava como médio, o Otávio, também atacante do Botafogo e seleção e outros que não lembro. Vi dois confrontos desses times, no primeiro a Urca ( sempre de camisa azul marinho) venceu por 3 a 1 e outro que terminou empatado em 1 a 1.

Por volta de 1945,  os times de Copacabana, alguns com nome de ruas ou de  edificios, o Lá Vai Bola do Marechal e Bolinha, o  Dínamo do Tião, o Maravilha do Jaime “Pafúncio”, o Ouro Prêto, o Leme PC. (o qual joguei no juvenil em 1948, na lateral direita embora fosse canhoto), entre outros que fundaram a LEC (Liga Esportiva de Copacabana) para realizar campeonatos naquela praia. Pouco mais tarde, foi fundada a Liga do Leblon (e Ipanema), com times com Grêmio Leblon, Lagoa, Torino, Tatuís etc  Mais tarde em 1956, foi fundada a LEU (Liga Esportiva da Urca) que durou até 1959.

 Também em Icaraí, onde se jogava a muito tempo, foi fundada a LAFA, se não me engano na década de 50. mais tarde surgiram as ligas das praia do  Flamengo e de Botafogo, depois extintas. Em 1957, pelo êxito que os jogos de praia apresentavam, o Jornal dos Sports, organizou o Torneio Inter Praias, promovido pela Coca-Cola, convidando clubes das três ligas mais importantes na época, Copacabana, Leblon e Urca, os doze times que foram  convidados : Lagoa, Grêmio, Tatuís, Milionários e Iapetec (Leblon), Ouro Preto, Radar, Pracinha,Dínamo e Copaleme (Copacabana) e Cobras e Guaíba  (Urca). O campeão foi o Lagoa, do Théo, com 16 pontos, três vices: Grêmio, Cobras e Radar( 15 pts). Foi a primeira vez que dirigi um time na praia, o Guaíba (6 ). O time campeão foi : Miguel; Carlinhos, Nando, Vitoriano e Hans; Serginho e Eduardo; Rogério, Paulo Portela, Huguinho e Décio (Maurício). Acreano do Guaíba foi o artilheiro com 13 gols. Os campeões de Ligas foram : Copaleme (Copacabana), Grêmio (Leblon) e Guaíba (Urca)

Na edição de 1958, os particpantes foram: Lagoa, Tatuis, Grêmio e Milioná- rios (Leblon), Pracinha, Radar, Arsenal, Copaleme e Ouro Preto (Copacaba-na), Guaíba, Estudantes e Gatos (Urca). O Pracinha, com 19 pontos, apenas uma derrota ( perdeu no posto 5, para o Guaíba 0x1 go de Acreano). Dois vices  Grêmio e Radar, com 14 pontos. 4o Milionários e 5o Guaíba. Vitor do Copaleme foi o artilheiro com 15 gols. o time campeão: Castilho (Bonéco); Eurico, Santoro, Brandão e Béto; Danilo e Ivan: Paulo Portugal, Huguinho, Nelito e Fernando.  Os campeões de Liga foram os mesmos de 57.

Em 1959, o Inter Praias, com o mesmo modelo dos anos anteriores, fez com que as ligas se reunissem para fundar a Federação Carioca, que contarei no próximo artigo. Com forte equipe o campeão invicto foi o Radar, com 21 pontos, teve apenas um empate (1×1 com o Guaíba). o Tatuís foi vice, 17 pts e Guaíba, terceiro com 16. Eis a formação campeã: Toninho; Espanhol. Euri-co Lyra, Rigoni e João Maravilha: Salvador e Genê; Jarbas, Rafael Magalhães Eurico Louro e Marquinhos. Os artilheiros foram Horácio (Guaíba) e Rogério(Lagoa) 16 gols. Houve ainda o Torneio da Marinha no Leblon, vencido pelo Radar, vencendo o Guaíba, após 1×1, nos pênaltes. No Torneio Inter-Ligas, disputado por seleções, os resultados foram : Urca 1×0 Copacabana (Urca), Copacabana 1×1 Leblon (Lido) e Leblon 1×1 Urca (Leblon) o time da Urca, campeão formou com Zéca; Ronald (Lima), Mauro, Rodrigo Tovar e Walter; Rony e Paulo Tovar; Raul Celso (Amauri), Horácio, Perácio e Acreano.

Ficamos por aqui, daremos continuidade a essa história do futebol de praia, que tenho certeza trará muito boas memórias aos antigos pr

junho 17, 2009 at 1:30 am 4 comentários


Agenda

novembro 2017
S T Q Q S S D
« fev    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Posts by Month

Posts by Category